Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Unicórnio

O dia a dia de um Unicórnio. Suas inspirações, aventuras e desaires.

O dia a dia de um Unicórnio. Suas inspirações, aventuras e desaires.

O Unicórnio

26
Dez15

Eu e esta boca grande que tenho.


O Unicórnio

Há algo que acontece (tenho a certeza) em todas as famílias nesta altura do Natal. Chega-se ao final do dia e as mães dizem aos filhos;
- "Ó mê rique filhe, vais levar uma "táparuére" com carne e outra com doces para a tua casa, que eu não vou ficar cá com isto tudo!"

Certo?! Acontece a todos, ou não?
Bem, agora que ando gorda que nem uma pipa e a esforçar-me para não comer mais doces para além dos que comi nestes dois dias, respondi à minha mãe;
- "Mamãe, cá a menina não leva nada para casa porque não pode comer doces. Ficas aí com tudo".

Esta boca que ontem proferiu tamanha parvoíce, agora está sedenta da porra de uma fatia de pudim de ovos ou de uma taça de arroz doce, mas também marchavam uns coscorões ou uma fatia de bolo da minha irmã.
Parvo, Unicórnio, és mesmo parvo!

31
Jan15

Gorda, mas contentinha.


O Unicórnio


Desde que soube que estava grávida que tentei evitar alimentos que me adubassem muito as ancas, pernas e rabo. Reconheço que a fome é incontrolável e que por vezes, comporto-me como um mostrengo, sobretudo, quando me dão assaltos repentinos em que tenho que enfardar qualquer coisa, dê por onde der!
No outro dia, cheguei a casa com muita larica. O jantar estava na mesa (frango assado) e voei directamente para ele. Comi-o quase por inteiro num ápice. O mêrapaz até ficou de boca aberta, porque para além de ter ficado espantado com a minha sofreguidão, nunca me tinha visto a agarrar o frango com as mãos. Sim, é verdade, desculpem lá, mas nunca consegui comer as tais pernas do bicho com as manápulas. Dado o meu estado de graça, se for preciso, agora até o como com os pés e a fazer a ponte ao mesmo tempo.
Adiante. Dizia eu que tento evitar alimentos calóricos, mas… só Deus sabe o sacrifício que faço. Só Deus sabe a angústia que por vezes sinto em não poder esconder-me atrás do cortinado a devorar uma pizza de tamanho familiar cheia de queijo, atum e azeitonas (neste preciso momento, babo-me).
Vejo tantas grávidas a comerem este mundo e o outro, gordas que nem texugos, mas felizes da vida e contentes, sorridentes e despreocupadas que equaciono juntar-me a elas.
Qualquer dia, vou deixar de me importar com o peso e ficarei um Unicórnio grávido, gordo, anafado, redondo … mas feliz.

FAT BITCH.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D